Skip to content

Elementos de composição: Equilíbrio e Simetria

03/26/2012

Simetria e Equilíbrio são conceitos muito confundidos por possuírem alguma semelhança.

Ambos dizem respeito a relação das partes de uma composição, de uma igualdade e ambos refletem de forma mais ou menos direta a harmonia de uma composição.

Equilíbrio e simetria dizem respeito a conceitos físicos, que experimentamos no dia a dia. Mas as semelhanças param por aí.

Como veremos simetria e equilíbrio dizem respeito a conceitos diferentes.

Simetria:

As simetrias criam modelos que nos ajudam a organizar o nosso mundo conceitualmente.
Os modelos simétricos ocorrem na natureza, e são “copiados” por artistas, por músicos, por coreógrafos, designers e por matemáticos.
Simetria é uma característica que pode ser observada em algumas formas. O seu conceito está relacionado com o de reflexão.

O eixo de simetria é a linha imaginária que divide a imagem simétrica. A partir dessa linha podemos classificar as formas de simetria mais comuns:

Simetria reflexiva:

Refletir um objeto significa produzir sua imagem no espelho. Cada reflexão tem um eixo “a linha do espelho”. A partir desse conceito podemos definir um eixo a partir do qual a imagem se reflete.

Vale lembrar que cada conceito compositivo cria uma sensação. As sensações provocadas pela simetria são de beleza, equilíbrio, harmonia, paz, passividade, falta de movimento, estabilidade, tranquilidade, paciência, sossego e calmaria.

Outras imagens relativas a simetria:

Em todos os ambientes apresentados acima a sensação visual é de beleza (estática), organização, equilíbrio e passividade.

Uma composição simétrica sempre será equilibrada, pois não apresenta diferenças visuais entre uma lado e outro da composição, mas esse é um equilibrio estático, passivo, muito próximo do tédio.

Equilíbrio:

Equilíbrio é um tipo de relação das partes com o todo.
A noção de equilíbrio só faz sentido se observarmos a composição    (o ambiente, no nosso caso) como um todo.
A sensação visual de equilíbrio se associa a sensação física de equilíbrio, então, o conceito está associado ao “peso visual”.  Elementos com muito grandes ou muito escuros tem maior peso visual do que elementos menores e claros, assim como objetos de materiais metálicos ou de pedra tem maior peso visual do que  elementos de tramas naturais, tecido ou vidro.
Vale lembrar que não existe conceito bom ou ruim, e sim uma utilização positiva ou negativa de um princípio.

As linhas e inclinações também podem reforçar a sensação visual de equilíbrio ou desequilíbrio.

Esferas e círculos conferem uma sensação de continuidade e de movimento.

Bases largas conferem sensação de estabilidade, enquanto bases estreitas conferem a sensação de instabilidade e desequilíbrio iminente, as linhas diagonais também imprimem  essa sensação à composição.

Em design existe uma regra básica de composição chamada de “regra dos terços”. A regra dos terços é muito utilizada em fotografia, tanto é que muitos visores de câmeras fotográficas apresentam a divisão em terços.

Essa regra tem origem no princípio da proporção áurea, que já vimos.

A regra diz, resumidamente, que:

Toda composição tende ao equilíbrio quando  a parte mais “pesada” da composição estiver no terço inferior.

Em design de interiores isso quer dizer que, para uma sensação de maior equilíbrio, o mobiliário mais escuro, mais pesado deve ficar próximo ao chão, deixando para as paredes e tetos as cores mais luminosas e os materiais mais leves.

Veja as imagens abaixo:

Nessa imagem temos o piso mais escuro e feito de madeira com aparência sólida e pesada, enquanto que as paredes claras amenizem o peso visual dos móveis escuros. O teto (apresar de não aparecer na imagem) é branco.

Na imagem seguinte temos piso e teto bastante claros (o teto ainda mais claro do que o piso), enquanto que as paredes possuem estampas e mobiliário pesado retendo o peso visual no terço intermediário da composição.

O mesmo ocorre na imagem seguinte, na qual teto, parede e piso são brancos e o peso visual resta por conta do mobiliário em cores vibrantes e diferentes materiais de revestimento.

Já nesse ambiente temos um teto bastante pesado com madeiramento aparente em cor natural (ou escurecida), paredes escuras e piso com tapetes claros. O madeiramento aparente é indicado para ambientes de pé-direito alto ou duplo ainda assim com muita luz natural e cores claras para não causar a sensação de claustrofobia.

Anúncios
Deixe um comentário

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: